Cólicas, inchaço, dores nas costas, na cabeça e nas pernas… Parece familiar? Esses são apenas alguns dos desconfortos que nós, mulheres, sentimos todos os meses com a chegada da menstruação ¹'². Quando essas dores são muito fortes, além de afetarem a nossa rotina, também acabam nos deixando preocupadas. Afinal, é normal sentir tanta dor assim?

A resposta é: depende. Dores menstruais fortes podem estar relacionadas tanto a um aumento da sensibilidade da mulher no período menstrual¹ – que acaba sentindo os sintomas com mais intensidade – como também podem ser causadas por doenças na região pélvica, dentre elas a endometriose¹.

Mas, como dissemos, tudo vai depender de cada caso. Para deixar você mais tranquila e ajudá-la a entender o que é normal ou não acontecer no período menstrual, vamos explicar abaixo um pouco mais sobre cada uma das dores da menstruação. Venha com a gente! <3

Cólicas menstruais

A cólica menstrual, também conhecida como dismenorreia, é um dos sintomas mais comuns da menstruação, podendo atingir 80% das mulheres¹. Ela pode ser classificada como primária ou secundária.

A dismenorreia primária é a cólica “comum”, que chega com o fluxo menstrual e dura entre um e dois dias. Já a dismenorreia secundária é uma dor mais intensae prolongada, que costuma se manifestar horas e até mesmo dias antes da menstruação, permanecendo durante todo o fluxo¹.

A cólica do segundo tipo é causada por alguma alteração no nosso corpo, como a endometriose, infecções crônicas ou agudas e tumores na região pélvica¹. Portanto, se você está sentindo cólica muito forte e que não passa com a chegada do fluxo, é importante ficar alerta!

Já falamos melhor sobre esse sintoma e explicamos se é normal sentir cólica muito forte. Clique e saiba mais!

Dores nas costas

Sim, muitas mulheres sentem dores nas costas por causa da menstruação²! Essa dor está relacionada com a ação de uma substância chamada prostaglandina, que provoca contrações no útero e causa cólicas na região pélvica¹'³. O que acontece é que essa dor, muitas vezes, atinge também a região lombar, causando um sintoma chamado lombalgia; ou seja, dor nas costas¹'².

Já foi afetada por esse sintoma? Confira então as nossas dicas de como aliviar a lombalgia durante a TPM!

Dor de cabeça

Entre as mulheres que sentem dores de cabeça frequentes, cerca de 60% a 70% têm relação com a menstruação. Embora não tenha muito consenso entre os especialistas, de modo geral pode-se dizer que a cefaleia menstrual é aquela que aparece até 2 dias antes do fluxo e permanece por até 48h depois que a menstruação começa. A diferença dessa dor de cabeça para as outras é que, quando relacionada à menstruação, ela dura mais tempo e causa dor intensa⁴.

Conheça outros tipos de dor de cabeça além da cefaleia menstrual que também atingem as mulheres!

Dores nas pernas

Já sentiu aquelas incômodas dores nas pernas durante a TPM? Então, elas podem ser tanto aquelas dores que irradiam para as coxas¹ como também um inchaço causado pela retenção de líquidos, que são comuns no período menstrual³.

Quer saber mais e entender se a dor nas pernas na TPM é normal? Então acesse nosso post e confira!

Afinal, é normal ou não sentir dores menstruais fortes?

Depois de tudo o que você leu, fica o reforço: nenhuma dor muito forte e com duração prolongada é normal! A tendência é que as dores sejam mais fortes na adolescência e diminuam com o passar dos anos¹. Por isso, é importante procurar o auxílio de um especialista para entender melhor o seu organismo e o que está causando essas dores excessivas.

Mas, se quiser saber mais sobre como aliviar dores menstruais, acesse nosso conteúdo e descubra várias dicas!

NÃO USE ESTE MEDICAMENTO EM CASO DE ÚLCERA, GASTRITE, DOENÇA DOS RINS OU SE VOCÊ JÁ TEVE REAÇÃO ALÉRGICA A ANTI-INFLAMATÓRIOS. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Buscofem é indicado para o alívio das cólicas e outras dores menstruais. LIQUI-GELS® é marca registrada da Catalent Brasil LTDA*. Contraindicações: alergia ou intolerância aos componentes da fórmula, asma, pólipo nasal, inchaço ou urticária provocada por medicamentos, úlcera gastrintestinal, doenças graves do coração, fígado ou rins, desidratação, últimos 3 meses de gravidez e em gestantes sem orientação médica e crianças menores de 12 anos. MS - 1.0367.0159 - SAC 0800 701 66 33.

Referências:

  1. Diegoli, MSL; Diegoli, CA. Dismenorréia [Internet]. RBM. 2006. [Disponível em: http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3529].
  2.  Oliveira, Q; Cândida, RG; Silva, C; et al. TENS de alta e baixa frequência para dismenorreia primária: estudo preliminar [Internet]. ConsSaude. 2012. [Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/929/92923617020.pdf].
  3. Nogueira, CWM; Pinto e Silva, JL. Prevalência dos Sintomas da Síndrome Pré-menstrual [Internet]. RBGO. 2000.  [Disponível em:  http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v22n6/12205.pdf].
  4. Miziara,  L; Biga, ME; Bordini, CA; et al. Cefaléia Menstrual: estudo semiológico de 100 casos [Internet]. Arq Neuropsiquiatr. 2003. 61(3-A):596-600. [Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anp/v61n3A/a13v613a.pdf].