Escape menstrual: por que acontece e como identificar

O escape menstrual nada mais é do que um sangramento irregular que ocorre fora do fluxo esperado no ciclo menstrual¹,². Apesar de muitas vezes ser inofensivo, o escape é suficiente para deixar as mulheres em estado de alerta, principalmente quando fazem uso de anticoncepcional contínuo e não estão esperando um sangramento.

Apesar de parecer com a menstruação, o escape possui características e causas diferentes. Entenda como identificá-lo!

Como saber se tive sangramento de escape?

O ciclo menstrual normal tem duração média de 24 a 35 dias, com fluxo durante dois a sete dias. A perda sanguínea é de aproximadamente 80 mL durante o período da menstruação2. Todo e qualquer fluxo com duração ou características diferentes disso é considerado um sangramento uterino anormal, que pode estar sendo causado por diversos fatores.

A principal característica do escape, também conhecido como spotting, é que ele é um sangramento intermenstrual; ou seja, ele aparece entre um ciclo e outro, podendo ocorrer antes ou depois da menstruação regular e, em alguns casos, após relação sexual²,³.

O que difere o sangramento de escape da menstruação normal, portanto, é que o spotting aparece de forma inesperada e imprevisível¹, além de apresentar duração autolimitada e cessar espontaneamente4. Ou seja, o sangramento é menor e dura menos tempo do que em uma menstruação.

O que causa o escape menstrual?

As causas relacionadas ao escape menstrual ainda estão sendo estudadas pelos especialistas da área1, mas já é possível identificar alguns padrões para a ocorrência desse sangramento irregular.

O escape tem relação comprovada, por exemplo, com o uso de anticoncepcional em tratamento contínuo, quando a mulher opta por não menstruar. A amenorreia (ausência de menstruação) nos primeiros seis meses de tratamento é de apenas 81%, sendo durante esse período a maior ocorrência de episódios de escapes menstruais, que tendem a diminuir com a continuidade do tratamento1.

Apesar de as causas do escape menstrual nem sempre serem conhecidas, esse fenômeno pode estar associado a diversas condições, entre elas: gravidez ectópica, aborto, anomalias uterinas, uso de medicamentos (principalmente os contraceptivos contínuos) e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como a clamídia³.

A melhor forma de identificar esse sangramento irregular é ficar atenta ao seu ciclo. Ao primeiro sinal de anormalidades, como fluxo maior e mais longo, ou mesmo se esses sintomas persistirem por bastante tempo, o ideal é buscar o auxílio de um especialista, que irá examiná-la e indicar um tratamento adequado.

O escape menstrual nada mais é do que um sangramento irregular que ocorre fora do fluxo esperado no ciclo menstrual¹,².

Referências:

1) Machado RB, Magalhães J, Pompei LM, et al. Anticoncepcionais orais combinados em regime estendido [Internet]. Femina. 2010. [Acesso em: 2016 de out 11]. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2011/v39n10/a2961.pdf

2) Panisset KSP, Fonseca VLM. Manejo do sangramento uterino disfuncional em adolescentes[Internet]. Adolescência & Saúde. 2009. [Acesso em: 2016 de out 11] Disponível em: http://www.adolescenciaesaude.com/imagebank/PDF/v6n4a05.pdf?aid2=6&nome_en=v6n4a05.pdf

3) Meijer  LJ, Bruinsma  ACA, Pameijer, AS, et al. Sangramento vaginal. subtitle de diretriz NHG M28. 2014. [Acesso em: 2016 de out 11] Disponível em: http://sbmfc.org.br/media/NHG%2051%20Sangramento%20vaginal.pdf

4) Herter LD, Accetta SG. Anticoncepção e gestação na adolescência [Internet]. J Pediatr. 2001. [Acesso em: 2016 de out 11]. Disponível em: http://www.jped.com.br/conteudo/01-77-S170/ing_print.htm