Quando a cólica menstrual não é normal? 

Classificada em dois tipos diferentes, a dismenorreia pode ser primária ou secundária¹. Cada tipo tem suas causas e deve receber diferente tratamento. Você deve ficar atenta aos sintomas e ao período em que sente a cólica, pois nem toda dor relacionada ao ciclo menstrual é normal.

Aprenda a diferenciar quando a cólica é normal ou não

Dismenorreia primária

É a cólica típica do período menstrual e não tem relação com doenças ou alterações patológicas. Esse tipo de cólica pode se iniciar algumas horas antes ou no momento em que o fluxo menstrual começa, e dura de algumas horas a dias².

O lado bom é que, com o passar da idade, a frequência desse tipo de cólica tende a diminuir². Até aí tudo, bem!

Dismenorreia secundária

É a cólica menstrual que não deve ser considerada normal, pois é resultante de doenças, como endometriose, pólipos, doença pélvica inflamatória, leiomioma uterino e outras anomalias uterinas. Diferentemente da primária, essa dismenorreia tende a piorar com a idade².

Normalmente, as dores desse tipo de cólica são severas e persistente durante todos os dias do fluxo menstrual, além de estarem associadas a outros sintomas – como dor durante as relações sexuais e sangramento menstrual prolongado³. Então, é importante ficar atenta!

Quando devo me preocupar e procurar orientação de um ginecologista?

 A dismenorreia primária - infelizmente - faz parte do nosso clico menstrual. Existem alguns métodos para diminuí-la. É indispensável que você procure seu ginecologista quando notar padrões de cólicas diferentes da dismenorreia primária ou indícios de dismenorreia secundária, que é anormal por ser uma dor provocada por um problema orgânico, e deve ser tratada².

O tratamento da dismenorreia secundária é avaliado conforme cada caso. Geralmente o diagnóstico é feito com base na história clínica e no exame ginecológico³. Eles ajudarão no processo de diferenciação entre uma dismenorréia e a outra.

Lembre-se: A consulta ao seu ginecologista deve ser mantida com regularidade aproximada de, pelo menos, uma vez ao ano; independente da percepção de dúvidas, anormalidades ou incômodos.

Classificada em dois tipos diferentes, a dismenorreia pode ser primária ou secundária¹.

Referências

1) Motta EV, Salomão AJ, Ramos LO. Como diagnosticar e tratar dismenorreia. RBM. 2000;57(5).

2) Borges PCG, Ramos JFD, Depes DB,et al. Dismenorréia e endométrio. Femina. 2007 dez; 35(12): 789-795.

3) Rogrigues AC, Gala S, Neves A, et al. Dimesnorreia em adolescentes e jovens adultas. Acta Med Port. 2011; 24(S2): 383-392.