Corra como uma garota!

As manifestações em prol do empoderamento feminino, da igualdade entre os sexos e da liberdade de expressão das mulheres, há anos vem ganhando voz e notoriedade em várias partes do mundo!

Para se ter uma noção da relevância deste assunto, “feminismo” foi escolhida a palavra do ano em 2017 pelo dicionário americano Merriam-Webster e a busca pelo termo no Google cresceu 200% desde 2016.¹ Os protestos e manifestações liderados por mulheres abordam os mais variados temas voltados às opressões sofridas pelo sexo feminino e estão, cada vez mais,  atingido todas as camadas da sociedade.

A #tánosangue foi criada pelo Buscofem como um manifesto à naturalização da menstruação e para mostrar que este fenômeno do corpo feminino não deve ser considerado um motivo de vergonha. Já a frase “Lute como uma garota” tornou-se um símbolo muito forte da luta feminina após uma designer criar algumas camisetas all-type (camisetas estampadas apenas com textos, sem o uso de imagens) para usá-las em uma manifestação pelos direitos das mulheres.²

A partir daí, diversas hashtags com dizeres semelhantes tomaram conta das ruas e da internet como uma forma de mostrar que a palavra GAROTA  — e todas as suas variáveis  — é carregada de força e deve ser uma referência, assim como tantas outras. Hoje, iremos usar a #corracomoumagarota como tema para batermos um papo sobre os benefícios da corrida e de outras atividades físicas durante os períodos menstruais.

Nós, mulheres, sabemos com propriedade — uma vez que somos as únicas que passam por isso — que os sintomas antes e durante a menstruação nem sempre são os mais confortáveis: indisposição, alteração do humor, dores, inchaço corporal etc. estão totalmente ligados ao processo que o nosso organismo passa durante este período. A vontade de ficar na cama, comendo uma deliciosa barra de chocolate e assistindo aquela série que tanto amamos sem ninguém para nos atrapalhar é predominante, mas saiba que está tudo bem se você quiser e puder fazer isso, temos que nos permitir! Porém, sabemos que a vida não pode parar e que temos as nossas rotinas e atividades diárias.

A prática de exercícios físicos parece impossível, já que a fadiga e o cansaço muitas vezes querem nos dominar, mas estudos comprovam que a prática de esportes, as idas frequentes à academia e outras atividades físicas, auxiliam na diminuição de dores³ e outros sintomas causados pelo processo menstrual. Ao praticar atividades físicas, a mulher irá produzir endorfina e essa substância irá auxiliar no controle dos hormônios, fazendo assim com que os sentimentos de irritabilidade e tristeza sejam amenizados. A longo prazo, a corrida ou outra atividade física pode fazer com que os sintomas da TPM fiquem cada vez mais amenos, pois aos poucos o organismo vai modulando a produção de algumas substâncias que causam incômodos.⁴

Cada mulher possui um tipo de organismo e, por isso, algumas de nós temos sintomas mais intensos que as outras.

Não se force a nada! Caso você tenha um fluxo muito intenso ou se sinta muito desconfortável quando faz movimentos com o corpo, opte por atividades moderadas. Para você não se sentir só, saiba que milhares de mulheres correm por aí independentemente da fase hormonal que se encontram. As corridas de rua dedicadas exclusivamente ao público feminino, estão cada vez mais fortes aqui no Brasil. São eventos super bacanas e que unem a nossa força para mostrar que somos inspiração e superação!

Uma Inspiração para você:

Em 2015, a atleta Kiran Gandhi, correu a maratona de Londres menstruada e sem absorvente! Após a prova, ela não se importou em tirar fotos com a sua legging manchada com o seu sangue. Kiran afirmou que decidiu fazer isso como uma forma  de conscientização: “Corri com sangue escorrendo pelas minhas pernas para as irmãs que não têm acesso aos tampões e irmãs que, apesar de cólicas e dor, escondem e fingem que elas não existem. Corri para dizer: elas existem e nós a superamos todos os dias”.

E para te ajudar ainda mais nos dias em que for realizar as suas atividades físicas, conte com o Buscofem. Por ser líquido, ele não demora para ser absorvido pelo organismo, promovendo o alívio 2x mais rápido⁵ que comprimidos⁶. Seu formato em cápsula Liqui-Gel o torna muito mais fácil de engolir. Para mais informações, consulte a bula de Buscofem!

 

NÃO USE ESTE MEDICAMENTO EM CASO DE ÚLCERA, GASTRITE, DOENÇA DOS RINS OU SE VOCÊ JÁ TEVE REAÇÃO ALÉRGICA A ANTI-INFLAMATÓRIOS. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Buscofem (Ibuprofeno 400mg) é um medicamento analgésico em cápsulas Liqui-Gels®, composto por Ibuprofeno 400mg. LIQUI-GELS® é marca registrada da Catalent Brasil LTDA*. Contraindicações: alergia ou intolerância aos componentes da fórmula, asma, pólipo nasal, inchaço ou urticária provocada por medicamentos, úlcera gastrintestinal, doenças graves do coração, fígado ou rins, desidratação, últimos 3 meses de gravidez e em gestantes sem orientação médica e crianças menores de 12 anos. MS - 1.0367.0159 - SAC 0800 701 66 33. Novembro/2019

Referências: 1 - Revolução feminista - https://istoe.com.br/revolucao-feminista/ 2- Lute como uma garota! Designer lança marca de camisetas manifesto - https://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/comportamento/conheca-a-peita-marca-curitibana-de-camisetas-manifesto/ 3 - Influência do exercício físico na dismenorreia. Revisão da literatura - https://www.efdeportes.com/efd232/influencia-do-exercicio-fisico-na-dismenorreia.htm / 4 - Teixeira ALS, Oliveira ECM, Dias RMC. Relação entre o nível de atividade física e a incidência da síndrome pré-menstrual. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.35 no.5 Rio de Janeiro May 2013 / 5 - Mendes GD, Mendes FD, Domingues CC, et al. Comparative bioavailability of three ibuprofen formulations in healthy human volunteers.Int J Clin Pharmacol. 2008; 46 (6), 309 – 318. / 6 - Bula do paciente Buscofem® [Internet]. 19.fev.2019 [Acesso em 18.Mar.2019]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=4278942018&pIdAnexo=10561726