Quem aqui nunca usou expressões como “está chovendo por aqui”, “estou naqueles dias”, “estou de chico”, “bandeira vermelha”, “chorando sangue”, entre outras, apenas por não sentir segurança em dizer abertamente: “Estou menstruada”?

Embora alguns assuntos como o aborto e o feminismo conquistem cada vez mais espaço, a menstruação — mesmo sendo um processo natural do corpo feminino — ainda é um tabu entre homens e mulheres.

Uma pesquisa realizada pela Johnson & Johnson em 2017, apontou que 57% das brasileiras sentem-se sujas quando estão menstruadas e que 40% ficam inseguras e, por isso, deixam de fazer diversas atividades do dia a dia, como a prática de exercícios físicos, por exemplo 1.

A “polêmica da menstruação” é muito presente na adolescência, pois esse tabu deve-se à falta de informação e orientações básicas sobre o ciclo menstrual e sobre as mudanças que podem ocorrer no corpo durante este período.

Portanto, é de extrema importância que os pais e escolas estejam preparados para conversar com os jovens — meninos e meninas — sobre a menstruação, que usem argumentos que ajude-os a entender que trata-se de um processo natural do corpo feminino e que, por isso, não há nada de sujo, imoral e vergonhoso no ato de menstruar.

Fazer com que os meninos sejam também bem informados e orientados sobre este tema, fará com que eles sejam mais compreensivos, respeitosos e que, acima de tudo, possam construir relações mais harmoniosas com as mulheres.

Esse, sem dúvida, é um grande passo para que a menstruação comece a ser chamada pelo nome — sem eufemismos —, pois se, desde crianças, as pessoas começarem a enxergar o ato de sangrar mensalmente como algo natural, provavelmente, ao chegar à idade adulta o ciclo menstrual será desmistificado.

Felizmente, com as mulheres mais empoderadas, estamos ganhando mais espaço para falarmos abertamente sobre diversos assuntos que rondam o universo feminino, como a aceitação do próprio corpo, compartilhamento de experiências, autoconhecimento e a menstruação.

Com isso, a indústria também começa a entender essas mudanças e novos produtos que atendam às mulheres durante esse período começam a ganhar espaço. Um ótimo exemplo são as calcinhas absorventes e os coletores menstruais — que ideias geniais! — que oferecem muito mais conforto, praticidade e que, acima de tudo, são sustentáveis.

Não podemos deixar de falar aqui sobre os diversos movimentos que têm como principal objetivo o combate aos preconceitos vividos pelas mulheres durante o período menstrual, como o ato de plantar a lua, por exemplo.

Neste ritual — que é inspirado em tradições ancestrais — o sangue menstrual é usado para regar as plantas e para pintar o rosto e, além disso, ele é celebrado e visto como símbolo de fertilidade 2.

O principal objetivo é reforçar a ideia de que o sangue menstrual não deve, em hipótese alguma, ser motivo de vergonha ou nojo. Pelo ao contrário, para as adeptas do movimento, o sangue da menstruação é um motivo de orgulho e poder. Geralmente, as participantes do movimento marcam encontros em espaços público e, juntas, elas “plantam a lua”.

Para que possamos desmistificar a menstruação, precisaremos falar mais sobre ela e chamá-la, cada vez mais, pelo o seu nome, uma vez que o não uso da palavra, só reforça o estigma criado há gerações em torno dela.

E para o para o alívio das cólicas e outras dores menstruais, conte com o Buscofem. Por ser líquido, ele não demora para ser absorvido pelo organismo, promovendo o alívio 2x mais rápido que comprimidos. Seu formato em cápsula Liqui-Gel o torna muito mais fácil de engolir. Para mais informações, consulte a bula de Buscofem!

NÃO USE ESTE MEDICAMENTO EM CASO DE ÚLCERA, GASTRITE, DOENÇA DOS RINS OU SE VOCÊ JÁ TEVE REAÇÃO ALÉRGICA A ANTI-INFLAMATÓRIOS. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.
Buscofem (Ibuprofeno 400mg) é um medicamento analgésico em cápsulas Liqui-Gels®, composto por Ibuprofeno 400mg. LIQUI-GELS® é marca registrada da Catalent Brasil LTDA*. Contraindicações: alergia ou intolerância aos componentes da fórmula, asma, pólipo nasal, inchaço ou urticária provocada por medicamentos, úlcera gastrintestinal, doenças graves do coração, fígado ou rins, desidratação, últimos 3 meses de gravidez e em gestantes sem orientação médica e crianças menores de 12 anos. MS - 1.0367.0159 - SAC 0800 701 66 33. Agosto/2019

Referências: 1- Diário de Uberlândia, Menstruação ainda é tabu e motivo de constrangimento para muitas brasileiras, 2019 em: https://diariodeuberlandia.com.br/noticia/20652/menstruacao-ainda-e-tabu-e-motivo-de-constrangimento-para-muitas-brasileiras 2- BBC News, Plantar a Lua: o polêmico ritual com sangue de menstruação, 2019: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-48745162

"

"

"

"