O nosso website utiliza cookies para lhe identificar e aprimorar a sua experiência de navegação.
Alguns cookies são necessários, outros são utilitários, analíticos ou de marketing. Ao continuar navegando, você concorda com os termos da nossa Política de Cookies.

Antigamente, as mulheres recorriam a coisas absurdas e inusitadas na tentativa falha de evitar uma gravidez: ovos de cobras, mercúrio frito em óleo etc. Já pensou? Ainda bem que, em 1960, surgiu a primeira pílula anticoncepcional para uso por via oral com eficácia e segurança testadas. Com o passar do tempo, a medicina ainda descobriu outros métodos eficazes, com cada vez menos efeitos colaterais¹. Ufa!

Atualmente, o método mais utilizado no mundo inteiro é a pílula, um método contraceptivo ( o mesmo que anticoncepcional) hormonal, com mais de 100 milhões de adeptas. Como será que este e outros anticoncepcionais funcionam? Para saber, vamos precisar primeiro compreender como o ciclo menstrual funciona.

♥ Por dentro do ciclo menstrual

A mulher produz dois hormônios: o estrógeno e a progesterona, ambos para a modulação do ciclo menstrual e da ovulação. Tudo começa com a hipófise, uma glândula no cérebro: ela produz os hormônios FSH (Folículo Hormônio Estimulante) e LH (Hormônio Luteinizante).  Quando estes hormônios atingem um nível alto no organismo, estimulam a produção do estrógeno e da progesterona no ovário, induzindo, assim, à ovulação e preparando o útero para a fecundação¹.

♥ Como os anticoncepcionais agem em meio ao ciclo?

Os métodos contraceptivos hormonais, como o próprio nome sugere, alteram a configuração de taxas hormonais no organismo da mulher. Nada mais lógico, afinal, são os hormônios que controlam o ciclo menstrual naturalmente¹, como já foi citado.

O que acontece é que ao aumentar os níveis de estrógeno e progesterona no organismo, os anticoncepcionais inibem a hipófise de liberar o FSH e o LH. Isso acontece porque os hormônios sintéticos usados nos anticoncepcionais imitam o estrógeno e a progesterona. Assim, o cérebro entende que não é necessário produzir o FSH e o LH. Sem estes dois hormônios, o desenvolvimento dos folículos ovarianos é interrompido e a ovulação não ocorre¹.

♥ Além da contracepção

Os hormônios regulam uma série de fatores: o crescimento, o desenvolvimento, funções de muitos tecidos e de várias partes do organismo¹.

Os anticoncepcionais possuem contraindicações e podem apresentar efeitos colaterais (inchaço, ganho de peso etc.). Portanto, o acompanhamento de um médico é essencial.

Além de esclarecer possíveis dúvidas, a visita a um médico irá lhe conferir a garantia de que está tudo em ordem ou, caso não esteja, diagnóstico e tratamento mais adequado. Mantenha a visita periódica a um ginecologista.

...e lembre-se: ainda não um existe método anticoncepcional  100% eficaz.

Referências

1 -Mattos JM. Pílulas anticoncepcionais [Monografia].  São Paulo: Universidade Estadual de Campinas; 2012.

ONDE COMPRAR ONLINE

Buscofem. ibuprofeno.
Indicações: tratamento dos sintomas de febre e dores leves e moderadas associadas a gripes e resfriados, dores de garganta, de cabeça, enxaqueca, de dente, nas costas, musculares, articulares e na região abaixo do umbigo, como cólicas menstruais. MS 1.7817.0892.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Fev/2021.
LIQUI-GELS® é marca registrada da Catalent Brasil LTDA.

Referência Consultada: 1. Bula do produto Buscofem. 2. *Mendes GD, Mendes FD, Domingues CC, et al. Comparative bioavailability
of three ibuprofen formulations in healthy human volunteers. Int J Clin Pharmacol. 2008; 46 (6), 309 – 318.